CASA QUEM SOMOS SEDE RESPONTISMO GOVERNO NOTICIAS PESQUISAR FALE-CONOSCO DOAÇÕES
 
 
SERVIÇO

Mídia

O que é mídia?
Emissoras de TVs
Internet
Live
Radiodifusão
Jornais
Revistas
Direitos Autorais
Comunicação
O que é comunicação?
Telefonia
Monopólio
Serviço via satélite
Serviço via a cabo
Serviço via-radio
 


Este Brasil ainda não é de todos nós.
INTERNET
 

Internet

A Internet é um conglomerado de redes em escala mundial de bilhões de computadores interligados por redes trazendo oportunidade de serviços como comunicação instantânea e compartilhamento de arquivos etc.

No Brasil os comunistas petistas tentam através de (PEC) extorquir os brasileiros usando a força bruta com mudanças arbitrarias na constituição brasileira, mas de maneira direta e pessoal também aprovou o MARCO CIVIL, com isso nossa privacidade já prejudicada pelos americanos, agora é o nosso direito de expressão que está em jogo.

O atual "presidente" também permite que nós brasileiros fiquemos a mercê do monopólio que exploram este campo, tecnológico, com preços abusivos, péssimos serviços e para piorar, oferecendo velocidade inexistente. Operadoras de internet no novo sistema de governo terão que entregar 100% da velocidade real contratada, tanto em (UPLOADUpload; significa enviar arquivos, se o seu upload for baixo, não envia arquivos, não joga na Live, não navega, fica super lenta, mesmo o download sendo alto como DOWNLOADDownload; significa baixar arquivos, empresas oportunistas só falam do download, porque o upload produz custos, então você é enganado com velocidade inexistente. Seria o mesmo que ir a pé ao servidor com o upload baixíssimos, e voltar correndo com o download mais alto.). As empresas só podem anunciar (velocidade de internet), quando oferecem upload e download em igual velocidade. Fora isso, é propaganda enganosa.

Atualmente se reclamar dos serviços, pode ou não receber uns trocados da empresa e o juiz/a irá pedir o cancelamento dos serviços, desta forma a "justiça" ajuda a empresa (171) fazendo que fique sem internet, não resolve seu problema e a empresa sai rindo continua faturando milhões das pessoas que tem vergonha e medo de reclamar, a maioria das cidades brasileiras só existe uma prestadora de serviço, ou você aceita pagar sem reclamar, ou terá que mudar de cidade onde tenha "concorrência".

Com a (SFB) o juiz jamais poderá pedir o cancelamento, mas sim, que a fornecedora de serviços o deixe satisfeito/a, quase 100% das empresas que oferecem internet no Brasil são estelionatárias, ou seja, oferecem o que não funciona. O (171Pessoa estelionatária. Referente ao artigo do código penal. Trambiqueiro. Recomendaram não fazer negócio com aquele homem porque ele é conhecido por ser 171.) foi aprovado pelos deputados, senadores, presidentes e apoiado integralmente em acordão vergonhoso judiciário.

 

A (SFB) manterá a internet livre com tecnologia própria, sistema operacional gratuíto que funcione com todos os programas, abertura de empresas (limpas) e sérias para o nosso país, gerando centenas de milhares de novos empregos.

A (SFB) reconhece a internet, como único meio de expressão cultural e liberdade humana.

Figura ilustrativa

 

A (SFB) possui projetos de barrar empresas que invadem nossa privacidade,  e as vendem para "governos" terroristas ou empresas oportunistas que usarão estas informações contra nós, e pior, roubam nossos arquivos, invenções, idéias e até os nossos sonhos.

 

Atualmente temos uma acirrada concorrência em algumas cidades brasileira na maioria em (SP), mas todas oferecem o mesmo serviço da telefônica, ou seja, upload menos de (1) mega, esta é a velocidade real até o momento no Brasil, após a (SFB) alertar a população começou aparecer empresas idôneas que seu cliente recebe o serviço que contratou, são raríssimas as cidades que possuem estes serviços, mas o UPLOAD ainda é vendido a preço de ouro, o monopólio na internet continua.

 

O que são Host?


Host: são ambientes para hospedagem de sites e arquivos em geral.

Investigamos empresas pequenas e grandes conhecidas pelo público brasileiro, ficamos horrorizados com serviços oferecidos com assistência técnicas 24 horas falsas, deixando os clientes no prejuízo, como também vendendo produtos inexistentes e a "justiça" ignorando e apoiando estas empresas sem a devida punição.

Propagandas enganosas embora já considerada crime, no Brasil o "governo" atual incentiva e pratica, os oportunistas seguem atrás, principalmente as multinacionais que sabem do analfabetismo dos políticos, não só em tecnologia como em todas as outras áreas, menos é claro em roubar ou desviar recursos.

 

Reclamar nos órgãos governamentais como (ANATEL ou PROCON) é perda de tempo, entrar na justiça talvez seja a única solução, mas empresas (171) já conseguem fazer acordão com a "justiça" para pagar menos indenização ou nenhuma, desta forma a empresa continua oferecendo (nada) ao cliente, pagando menos aos que reclamam.

 

 

Veja outro descaso no Brasil com a tecnologia, não temos Data Center, os maiores hospedeiros de sites do Brasil aluga estes servidores em outros países, é necessário muito investimento assim como também uma internet ultrarrápida para processar as informações para o mundo, em questão de tecnologia andamos de carroça.

O governo atual político acha que tudo se resolve inventando "leis insanas", tenta obrigar estrangeiros a montar Data Center no Brasil, ao invés de favorecer e incentivar empresários brasileiros a desenvolver tal tecnologia altamente lucrativa.

Figuras ilustrativas

 

 

O Brasil terá DATA CENTER com tecnologia de ponta, oferecendo velocidades que jamais poderá imaginar. O sofrimento dos internautas acaba, finalmente o Brasil alavanca para o futuro.

 

Saiba mais sobre a internet.


Nomenclatura


A palavra Internet é tradicionalmente escrita com a primeira letra maiúscula, como um nome próprio. Internet Society, Internet Engineering Task Force, ICANN, World Wide Web Consortium e várias outras organizações relacionadas usam essa convenção em suas publicações. Da mesma forma, vários jornais, revistas e periódicos usam o mesmo termo, incluindo The New York Times, Associated Press e Time.

Outras organizações alegam que a primeira letra deve estar em minúsculo (internet), e que o artigo "a internet" é suficiente para distinguir entre "uma internet", usada em outras instâncias. Publicações que usam essa forma estão ausentes no meio acadêmico, mas presentes em médias como The Economist e The Guardian.


História da Internet

O lançamento soviético do Sputnik causou como consequência a criação americana da Defense Advanced Research Projects Agency (Agência de Projetos de Pesquisa Avançada), conhecida como ARPA, em fevereiro de 1955, com o objetivo de obter novamente a liderança tecnológica perdida para os soviéticos durante a guerra fria. A ARPA criou o Information Processing Techniques Office (Escritório de Tecnologia de Processamento de Informações - IPTO) para promover a pesquisa do programa Semi Automatic Ground Environment, que tinha ligado vários sistemas de radares espalhados por todo o território americano pela primeira vez. Joseph Carl Robnett Licklider foi escolhido para liderar o IPTO.

Licklider se transferiu do laboratório psico-acústico, na Universidade de Harvard, para o MIT em 1950, após se interessar em tecnologia de informação. No MIT, fez parte de um comitê que estabeleceu o Laboratório Lincoln e trabalhou no projeto SAGE. Em 1957, tornou-se o vice-presidente do BBN, quando comprou a primeira produção do computador PDP-1 e conduziu a primeira demonstração de tempo compartilhado.

No IPTO, Licklider se associou a Lawrence Roberts para começar um projeto com o objetivo de fazer uma rede de computadores, e a tecnologia usada por Robert se baseou no trabalho de Paul Baran, que havia escrito um estudo extenso para a Força Aérea dos Estados Unidos recomendando a comutação de pacotes ao invés da comutação de circuitos para tornar as redes mais robustas e estáveis. Após muito trabalho, os dois primeiros elos daquele que viria a ser o ARPANET foram interconectados entre a Universidade da Califórnia em Los Angeles e o SRI (que viria a ser o SRI International), em Menlo Park, Califórnia, em 29 de outubro de 1969. O ARPANET foi uma das primeiras redes da história da Internet atual.

Após a demonstração de que a ARPANET trabalhava com comutações de pacotes, o General Post Office, a Telenet, a DATAPAC e a TRANSPAC, trabalharam em colaboração para a criação da primeira rede de computador em serviço. No Reino Unido, a rede foi referida como o Serviço Internacional de Comutação de Pacotes (IPSS).

Este sistema garantia a integridade da informação caso uma das conexões da rede sofresse um ataque inimigo, pois o tráfego nela poderia ser automaticamente encaminhado para outras conexões. O curioso é que raramente a rede sofreu algum ataque inimigo. Em 1991, durante a Guerra do Golfo, certificou-se que esse sistema realmente funcionava, devido à dificuldade dos Estados Unidos de derrubar a rede de comando do Iraque, que usava o mesmo sistema.


Placa celebrando o "Nascimento da Internet" na Universidade de Stanford, Estados Unidos.O X.25 era independente dos protocolos TCP/IP, que surgiram do trabalho experimental em cooperação entre a DARPA, o ARPANET, o Packet Radio e o Packet Satellite Net Vinton Cerf e Robert Kahn desenvolveram a primeira descrição de protocolos TCP em 1973 e publicaram um artigo sobre o assunto em maio de 1974. O uso do termo "Internet" para descrever uma única rede TCP/IP global se originou em dezembro de 1974, com a publicação do RFC 685, a primeira especificação completa do TCP, que foi escrita por Vinton Cerf, Yogen Dalal e Carl Sunshine, na Universidade de Stanford. Durante os nove anos seguintes, o trabalho prosseguiu refinando os protocolos e os implementando numa grande variedade de sistemas operacionais.

A primeira rede de grande extensão baseada em TCP/IP entrou em operação em 1 de janeiro de 1983, quando todos os computadores que usavam o ARPANET trocaram os antigos protocolos NCP. Em 1985, a Fundação Nacional da Ciência (NSF) dos Estados Unidos patrocinou a construção do National Science Foundation Network, um conjunto de redes universitárias interconectadas em 56 kilobits por segundo (kbps), usando computadores denominados pelo seu inventor, David L. Mills, como "fuzzballs". No ano seguinte, a NSF patrocinou a conversão dessa rede para uma maior velocidade, 1,5 megabits por segundo. A decisão importantíssima de usar TCP/IP DARPA foi feita por Dennis Jennings, que estava no momento com a responsabilidade de conduzir o programa "Supercomputador" na NSF.

A abertura da rede para interesses comerciais começou em 1988. O Conselho Federal de Redes dos Estados Unidos aprovou a interconexão do NSFNER para o sistema comercial MCI Mail naquele ano, e a ligação foi feita em meados de 1989. Outros serviços comerciais de correio eletrônico foram logo conectados, incluindo a OnTyme, a Telemail e a Compuserver. Naquele mesmo ano, três provedores comerciais de serviços de Internet (ISP) foram criados: a UUNET, a PSINet e a CERFNET. Várias outras redes comerciais e educacionais foram interconectadas, tais como a Telenet, a Tymnet e a JANET, contribuindo para o crescimento da Internet.

 

A Telenet (renomeada mais tarde para Sprintnet) foi uma grande rede privada de computadores com livre acesso dial-up de cidades dos Estados Unidos que estava em operação desde a década de 1970. Esta rede foi finalmente interconectada com outras redes durante a década de 1980 assim que o protocolo TCP/IP se tornou cada vez mais popular. A habilidade dos protocolos TCP/IP de trabalhar virtualmente em quaisquer redes de comunicação pré-existentes permitiu a grande facilidade do seu crescimento, embora o rápido crescimento da Internet se deva primariamente à disponibilidade de rotas comerciais de empresas, tais como a Cisco Systems, a Proteon e a Juniper, e à disponibilidade de equipamentos comerciais Ethernet para redes de área local, além da grande implementação dos protocolos TCP/IP no sistema operacional UNIX.

O nascimento da World Wide Web
A Organização Europeia para a Investigação Nuclear (CERN) foi a RESPONTISMO pela invenção da World Wide Web, ou simplesmente a Web, como hoje a conhecemos. Corria o ano de 1990, e o que, numa primeira fase, permitia apenas aos cientistas trocar dados, acabou por se tornar a complexa e essencial Web.

Referências:


1. World Internet Users and Popu
lation Stats (em Inglês). Internet World Stats (30/09/2009). Página visitada em 21/02/2010.

2- Sociedade federativa Brasileira





OBS: A INTENÇÃO DA (SFB) É TORNAR O BRASIL LIVRE, HUMANO E PROSPERO, PARA ISSO É NECESSÁRIO QUE VOCÊ DE SUA SUGESTÃO, CRITICA OU APENAS SEU APOIO NO (FALE CONOSCO). SE ACHAR ESTA MATÉRIA FORA DE SUA PERSPECTIVA, VOCÊ TAMBÉM PODE MELHORA-LA E AMPLIAR O ASSUNTO DE NOSSA PROPOSTA, É MUITO IMPORTANTE O (SEU E-MAIL) SE DESEJA TRANSFORMAR SEU SONHO EM REALIDADE.



Para mudar o mundo, basta um ideal




SOCIEDADE FEDERATIVA BRASILEIRA



Copyright © 1999. Todos os direitos reservado. Revisado em: 18 maio, 2017. Melhor visualizado em 1280x800 pixel